Últimas notícias

"Ribeira... de sonhos a pesadelos"

Quando penso no velho bairro da ribeira oriundo das margens do Rio Potengi, meus olhos lacrimejam imaginando toda a sua elegância, era o formoso e belo centro de nossa cidade Natal.


Felizes são aqueles que tiveram o prazer de se deliciarem nas belíssimas noites ribeiranas, onde se afastava o que era fútil,e dava-se prioridade aos sentimentos ao contentamento, o recinto demarcado dos velhos boêmios e das lindas e belas cantorias a luz do luar.


NO ONTEM...



as praças e os encontros de grandes poetas e músicos












as aconchegantes ruas da ribeira












"O mais belo por do sol de nosso Brasil".









Até o próprio "Charlie Chaplin" ao caminhar em tuas ruas, se rendeu a te, sem pestanejar "chaplin" também um dia passou a te amar...


Sem falar do velho folclorista "Câmara Cascudo”, que acho hoje estar mudo, com tanta saudade de te amada ribeira.
Ribeira que o envolvia, pois da janela do sobrado encantado te via, elegante e soberana.








Av. Duque de Caxias.








E NO HOJE...






Só as ruínas fazem parte do velho CARTÃO POSTAL de NATAL...











Quem um dia te viu velha RIBEIRA, hoje chora por te...







 


Ribeira que tanto amo, que hoje junto a te me desengano...


As famosas travessas ARGENTINA, CHILE E OUTRAS, ponto de encontro de grandes poetas e músicos, hoje se tornaram "reduto de consumo de drogas, muito lixo e violência..."




Enquanto as grandes capitais investem no resgate de suas raízes, na revitalização de seus nobres bairros e no resgate de suas memórias.


"NATAL/RN" investe no descaso, no esquecimento de seu passado e no sepultamento de sua cultura...




"Canto e conto por miúdo o apuro dos meus pecados, contorcionismo de olhares, baião de dois bem grudados, numa paixão terrorista de bala trintaeoitista perfura o peito blindado..."


Jessier Quirino




"Ribeira de ruas elegantes, no charme das estreitas ruas hoje apenas casarões mal-assombrados, velhos e acabados e as mais sofridas saudades dos teus amantes ecoam solitários triste em um lamentar constante..."

 
Saudades de um povo amiga ribeira...

Beto Nazário






Tenho dito,

Nenhum comentário